receitas de Carnes

A carne vermelha é uma preciosidade na cozinha. Quando a gente aprende a aproveitar os diferentes tipos de corte e usar os temperos a nosso favor, é possível soltar a criatividade nos pratos. Seja na grelha, na pressão, em ensopados, empanados, recheios, uma boa carne é macia e suculenta.

Bife

ver mais

Dá para ir muito além do bife frito! Preparos criativos para pratos saborosos.

Porco

ver mais

Costelinha, pernil, lombo, muitos acompanhamentos e molhos. Só receitas saborosas com carne de porco.

Strogonoff de carne rápido

"Fiz hoje, ficou uma delícia!!! Sou detalhista, gostei do passo a passo" ver receita

Carne moída

ver mais

Sempre tenha carne moída em casa. A mais versátil da cozinha, com preparos deliciosos.

últimas receitas

120min
Rabada
15min
T-bone

seleções de receitas

dúvidas sobre receitas de Carnes

O ideal é escolher um corte macio, com pouca gordura e cor clara. Se a carne estiver amarelada, é de animal velho e o bife ficará duro. O filé mignon, com certeza, é a melhor opção, entretanto é um corte caro. Entre as opções boas e acessíveis, estão alcatra, contrafilé, coxão mole e patinho.

Uma das partes mais nobres do contrabilé, o ancho, também conhecido como filé de costela, possui carne macia, gordura entremeada (que deixa a carne com aspecto de marmorizada) e suculenta, características que chamam a atenção em um bom churrasco. O ideal é deixar os bifes com espessura de 4 cm, cerca de 2 dedos.

As calorias e proteínas de um bife grelhado vão depender do corte, tamanho e temperos utilizados. Por exemplo, em 100 gramas de filé mignon (corte nobre com pouca gordura), há cerca de 180 - 200 calorias, e 20 - 25 gramas de proteínas. Já em 100 gramas de contrafilé, há cerca de 200 - 250 calorias, e 20 - 25 gramas de proteínas.

A forma mais fácil para amaciar a carne é apostar em uma marinada ácida, como de limão, vinagre ou vinho. Esfregar sal grosso na carne algumas horas antes de levar à churrasqueira ajuda a retirar a umidade e a quebrar as fibras. Uma marinada com cerveja (1 cerveja para cada quilo de carne) também entrega bons resultados.

A carne suína possui sabor marcante, que pode ser realçado com a combinação certa de temperos. Use como base alho, cebola e pimenta. Complemente com sabores cítricos, laranja ou limão. Aposte em ervas frescas, incluindo alecrim e tomilho. Mel, shoyu e cachaça formam uma combinação agridoce. Deixe a carne descansar em uma marinada de temperos de 8 a 12 horas.

Uma boa carne moída precisa equilibrar sabor, textura e teor de gordura. Por exemplo, o patinho é uma carne magra, com fibras macias que, após moída, fica com uma cor vermelha vistosa. Outras boas opções são coxão mole, coxão duro, maminha, acém e lagarto.

Uma carne boa para consumo possuir cor vermelha brilhante, cheiro neutro ou adocicado, além de textura úmida e macia. Se a carne estiver com cor acizentada ou marrom, odor forte ou azedo e textura pegajosa, provavelmente ela está estragada. Ao perceber um desses sinais, ou em caso de dúvida, é sempre mais seguro não consumir a carne.

Descongele a carne lentamente na geladeira e deixe descansar em temperatura ambiente por 30 minutos antes do preparo. Tempere a carne somente quando ela já estiver fritinha, pois isso evitará o acúmulo de água. Quando estiver com uma cor marrom, mexa a carne continuamente para não formar gruminhos.

Uma carne saborosa pede atenção aos detalhes durante todo o processo de preparo. Deixe a carne descansar em uma marinada de temperos. Ao fritar um bife, garanta que a panela esteja bem quente, adicione um pouquinho de manteiga e não espete a carne. Os grelhados devem ficar a 20 cm de distância do fogo. Na panela de pressão, se a carne cozinhar demais, ela ficará dura.

A produção de carne suína segue rigorosos controles de qualidade que garantem um consumo seguro. Claro, é preciso prestar atenção ao armazenamento, manipulação e preparo corretos. Não coma carne crua, armazenada fora do congelador, com odor forte ou cor acinzentada. Na dúvida se a carne está boa ou não para consumo, não coma.